Se me procuras no olhar de uma criança, no sorriso de um idoso, na inocência de um animal, na simplicidade da natureza, no gesto de doação, na benevolência do perdão, nas páginas de um livro, na letra de uma música, no roteiro de um filme, nas poesias, nos textos de escritores que admiro, nos meus estudos, nas minhas pesquisas, nos meus desabafos, nas mal traçadas linhas que insisto em escrever... é ai que me encontras e é o que encontrarás por aqui, pois me encontro no que acredito...
Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas... continuarei a escrever (Clarice Lispector)

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

A morte!




É dolorosa e bela a morte...
Morre o corpo, a matéria, liberta-se o espirito e vive para sempre as lembranças, a essência as ações.
Dói em que fica, resta apenas saudades, mas quem parte liberta-se de dores, de angústias, de sofrimentos, de todo pecado.
É dolorosa pra quem perde, deixa uma inexplicável sensação de vazio. Uma dor imensa que alivia com o tempo mas que cicatriza o coração.
É bela pra que vai, pra quem voará livre pela imensidão da eternidade livre de todos os males.
Talvez eu que aqui estou não entenda ou veja beleza alguma, mas prefiro crer que aqueles que se vão não sentem mais dor.
E reafirmo é dolorosa e bela a morte!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Resiliência



Ouvi essa palavra um tempo atrás de uma pessoa que... bem deixa pra lá, no momento não dei muita importância, mas por algum motivo ela ficou na minha mente e vira e mexe ela surge...
Hoje foi um momento como esse, Resiliência...A resiliência é um conceito psicológico emprestado da física, definido como a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas - choque, estresse etc. - sem entrar em surto psicológico. podendo também se trata de uma tomada de decisão quando alguém depara com um contexto entre a tensão do ambiente e a vontade de vencer. Essas decisões propiciam forças na pessoa para enfrentar a adversidade. Assim entendido, pode-se considerar que a resiliência é uma combinação de fatores que propiciam ao ser humano condições para enfrentar e superar problemas e adversidades.
Definido de um modo que o meu "eu" entenda, é a vontade de superar, de buscar sempre um novo caminho, de não me deixar abater, de sempre alçar novos voos depois de mais uma queda e de erguer a cabeça de modo que o horizonte seja sempre o destino a ser seguido...Afinal já me disse Neruda (intimidade pouca é bobagem né...rs) Sou livre para fazer minhas escolhas, mas serei sempre prisioneira das consequências delas...
Que então eu possa sempre arcar com as consequências e seja de alguma forma a flor a brotar no deserto.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Autocondenação


O sono agitado, revira-se na cama e acorda de um sobressalto com a respiração ofegante, a testa molhada de suor, não só a testa como o lençol que a cobre, fora só mais um pesadelo, ela estava ali, no seu quarto escuro... Assim como escuro tornou-se o seu mundo, ela fechara-se nele, como em uma prisão perpetua, porque não uma solitária, onde o sol não alcança onde o ar é rarefeito e fétido.  
Por quantos dias esse pesadelos se repetiriam, onde tudo era  alegrias, partilhas, sorrisos, até que o céu escurece, uma onda de medo a assola, os amigos se foram, os sorrisos cessaram, tudo se repete, todos os momentos, todas as culpas, todos os pensamentos que conseguem condená-la, mas a sentença a libertou de todos os crime, não há nada que a condene. Sua consciência, sua maior juíza, ela sabe que não quis errar, ela saber que não foi premeditado, mas ela errou, julgou-se e condenou-se a mais temível pena, estar para sempre presa à culpa.
Não há volta, está decretada, morre em vida aquela que não pensou, que num impulso ousou, e suas palavras tornaram-se seus atos, e esses hábitos que moldarão seu caráter manchando para sempre o seu destino.

sábado, 5 de maio de 2012

Meu apoio, meu consolo, minha amiga, companheira, minha mamys!


Engraçado os designios de Deus, quis o criador que nossos caminhos se cruzassem de uma forma bem inusitada, mas que sou eu pra questionar os presentes dados por Ele.
Sim, presente, um lindo presente me foi dado no momento em que foi me permitido cruzar o teu caminho e hoje fazer parte da tua vida.
E hoje no dia do teu aniversário, no dia que celebramos o dom da tua vida, eu tenho muito a agradecer, pela pessoa que és, pela amiga que me mostra todos os dias que sois, pela mãe que eu ganhei.
Você com seu jeito de menina encanta a todos que te rodeiam, e com teu jeito de mulher seduz  e facina aqueles a quem tu das o previégio de estar ao teu lado.
A tua fragilidade por trás da capa de fortaleza que vestes só me mostra o quão grande é teu coração.
Hoje tendo o previégio de te chamar de minha amiga e minha mãe, quero te dizer obrigada, pelas horas diárias que partilhas comigo, pela confiança que me reservas, pela amizade, o carinho e o amor materno que me dedicas, pelos momentos que me chamas pra vida, pelos muitos sorrisos e até pelas lágrimas.
Agradeço a Deus o dom da tua vida, e agradeço ainda mais o fato de poder fazer parte dela, de poder estar ao seu lado.
Um dia te disse e hoje repito, sei que hoje sou uma das pessoas que mais te conhece e por isso não me cansarei nunca de gritar ao mundo, a pessoa linda que és e a forma que vejo.
Eu vejo em você é aquela a quem a vida quis pregar uma peça, e vc com a naturalidade de uma criança, mostrou a vida que pode ser mais
Vejo a menina que acredita em sonhos, mas que mantém os pés no chão quando se ver diante da necessidade de ser mulher,
vejo a pessoa que sempre recebe a todos com o coração de uma mãe, e que enxerga além, e que se entrega sem limites e não tem medo de voar.
Vejo o brilho da vida no fundo dos olhos, mas vejo também aquele frio na barriga diante do novo, vejo o impulso do momento, mão não tenho como não ver a decência da admissão do: "eu me enganei"
Vejo a hombridade do erro admitido, e a credulidade do perdão...
Vejo o seu coração aberto, e a pessoa com a maior vocação para amar que já conheci, vejo que o ser mãe é sua maior característica, e vc é daquelas que dão a vida, que brigam e aconselham, que protegem e mimam, isso não só vejo como sinto.
Vejo muitas vezes um anjo, aqueles de asas enormes, asas do tipo q acolhem e cobrem num ato de carinho, um anjo de luz infinita, luz q faz clarão nos abismos mais sombrios...
As vezes vejo como uma flor, aquelas de perfume diferente, perfume doce q faz pensar em um colo macio e gostoso de descansar... colo que sei que posso alí me livrar de todos os meus medo, pq sei que tô nesse momento protegida das maldades do mundo, pq vc é aquela que muitas vezes acreditou em mim quando eu achei difícil acreditar em mim mesma. Aquela que me, algumas vezes, o que eu realmente precisava ouvir, em vez do que eu queria que você dissesse, e me mostrou um outro lado a considerar.
Você é a que se abre comigo, que me confia os seus pensamentos, suas decepções e seus sonhos, você é aquela que conta comigo e que pede minha ajuda sempre que precisa dela, até quando não precisa também, e isso faz de você a pessoa mais linda que conheço.
Vejo decência, caráter e acima de tudo vejo vida! A vida pulsa dentro de você, não tens a maldade dos olhos dos homens, és criança na credibilidade que dás as pessoas, és criança na vida que não te permitiram viver...
és a naturalidade e a sinceridade nas palavras.
Vejo vc, sem mascara ou falsidade, sois o que mostra, sois o que tens, e tens muita vida e amor pra viver, sois humana e nessa condição suscetível a erros, mas sois ainda mais humana no ajudar e no acolher
Sois mulher na sensualidade, na forma de provocar e de saber levar, mas sois acima de tudo mulher na forma de amar, de amar sem limites, de amar sem mentiras.
Sois menina, sois mãe, sois sonhos, sois mulher na mais bela forma da palavr
a.
Parabéns minha mamys, que Deus te abençõe, proteja e gue sempre pelos melhores caminhos.
Te amo!








quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Para 2012 te desejo...


Sonhos sempre acesos, dos mais ousados aos mais corriqueiros
Prazeres, sejam eles simples ou fantásticos...
Amor, real e possível em todas as suas formas
Paz, nos seus dias e nas suas noites
O riso frouxo, o choro de alegria, o silêncio respeitado
Objetivos definidos, focados e alcançados
Laços, mais de família que de presentes.
Coragem para mudar e combustível para seguir em frente.
Amigos, na hora das festas e principalmente nas horas de dor.
Fé, na vida, no outro e em si próprio.
Sabedoria e discernimento na hora certa
Um teto harmonioso e acolhedor para você  chamar de lar.
Dias de sol para aquecer o corpo e dias de chuva para lavar a alma
Ideias vigorosas, ideias atrevidas
Olhares, para dentro de si e para quem precisar
Mais amigos, dos que valem a pena, dos que são uma dádiva.
Imaginação e criatividade, audácia e paciência, intuição e persistência
Dinheiro suficiente e a saúde necessária
Força, para remar o barco, manobrar o carro, virar o leme, manobrar o manche.
Incertezas para que você possa se abrir a novas possibilidades
Desejo que você aprenda, que ensine, que troque, que seja.
Eu desejo que você seja simplesmente feliz
E que 2012 seja o ano das realizações!


(Mônica Guedes)

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Um novo hoje


Tantos lamentos, momentos de reflexão de introspecção, onde o mundo parecia ter perdido toda graça, onde nada mais me motivava, onde o dia perdera a luz e o céu me parecia cinza, o mar não mais me encantava, músicas não em animavam, as letras que são meu refúgio perdiam toda beleza, nada ,e parecia ter graça ou sentido...
Mas se antes eu soubesse que o hoje existiria, tantas lágrimas teriam sido evitadas...
Tudo volta a ter cor, o dia está belo, caminhos se abrem, o sorriso em meu rosto parece o de uma criança ao ganha de natal a bicicleta tão sonhada...
E se o amanhã novamente me parecer obscuro, já vai ter valido a alegria do hoje ter existido 

Danny Montenegro


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Pedido de demissão

Venho por meio deste, apresentar oficialmente meu pedido de demissão da categoria dos adultos.
Resolvi que quero voltar a ter as responsabilidades e as idéias de uma criança de oito anos no máximo.
Quero acreditar que o mundo é justo e que todas as pessoas são honestas e boas.
Quero acreditar que tudo é possível.
Quero que as complexidades da vida passem desapercebidas por mim e quero ficar encantada com as  pequenas maravilhas deste mundo.

Quero de volta uma vida simples e sem complicações.
Cansei dos dias cheios de computadores que falham, montanha de papeladas, notícias deprimentes, contas a pagar, fofocas, doenças e necessidade de atribuir um valor monetário a tudo o que existe.

Não quero mais ter que inventar jeitos para fazer o dinheiro chegar até o dia do próximo pagamento.
Não quero mais ser obrigada a dizer adeus ás pessoas queridas e, com elas, à uma parte da minha vida.

Quero ter a certeza de que Deus está no céu e de que, por isso, tudo está direitinho nesse mundo.
Quero viajar ao redor do mundo no barquinho de papel, que vou navegar numa poça deixada pela chuva.
Quero jogar pedrinhas na água e ter tempo para olhar as ondas que elas formam.
Quero achar que as moedas de chocolate são melhores do que as de verdade, porque podemos comê-las e ficar com a cara toda lambuzada.

Quero ficar feliz quando amadurecer o primeiro caju, a primeira manga ou quando a jabuticabeira  ficar pretinha de frutas.
Quero poder passar as tardes de verão à sombra de uma árvore, construindo castelos no ar  e dividindo-os com meus amigos.
Quero voltar a achar que chicletes e picolés são as melhores coisas da vida.

Quero que as maiores competições  em que eu tenha de entrar sejam um jogo de bola de gude ou uma pelada.
Quero voltar ao tempo em que tudo o que eu sabia era o nome das cores, a tabuada, as cantigas de roda, a "Batatinha quando nasce..." e a "Ave Maria"  e que isso não me incomodava nadinha,  porque eu não tinha a menor idéia de quantas coisas eu ainda não sabia.

Quero voltar ao tempo em que se é feliz,  simplesmente porque se vive  na bendita ignorância da existência de coisas  que podem nos preocupar ou aborrecer.
Quero acreditar no poder dos sorrisos,  dos abraços, dos agrados, das palavras gentis, da verdade,  da justiça, da paz, dos sonhos,  da imaginação, dos castelos no ar e na areia.
Quero estar convencida de que tudo isso...  vale muito mais do que o dinheiro!

A partir de hoje, isso é com vocês,  porque eu estou me demitindo da vida de adulto.

Demita-se você também dessa sua vida chata de adulto.
NÃO TENHA MEDO DE SER FELIZ!!!

Conceição Trucom

domingo, 14 de agosto de 2011

Meu pai, meu exemplo, meu herói...

♪ Pai!
Eu não faço questão de ser tudo
Só não quero e não vou ficar mudo
Prá falar de amor
Prá você... ♫



Tão fácil falar de você, ao mesmo tempo em que me falta palavras para definir a imensidão do meu amor por ti... Me deste a vida e muito mais dedicaste a tua vida em busca da minha felicidade, te privaste de alguns luxos para que tuas filhas pudesse desfrutá-los.
As noites mal dormidas, as vezes que passou da hora de se alimentar, os dias em cima de um caminhão, tudo para que não faltasse o pão em nossa mesa e o estudo para nossas vidas. As vezes que chegavas cansado, depois de dias na estrada, quando o dinheiro era curto, mas o sorriso era largo no teu rosto.
Quando eu ainda não entendia, quando tudo era festa e quando eu tudo queria, e te desdobravas a satisfazer minhas vontades.
As vezes que chamou minha atenção, que não me deixou fazer o que eu queria, me mostrando o melhor caminho a seguir.
As vezes que perdoou as minhas desobediências e intolerâncias, que fechou os olhos pros meus defeitos e fingiu não ver minhas rebeldias.
Passe o tempo que passar o teu exemplo de homem e de pai terei sempre em minha mente, teus conselhos que procurarei sempre seguir, e mesmo quando divergíamos e muitas vezes concordavas mesmo eu sabendo que era pra não me contrariar...
Um homem simples que vive para os seus, que se anula pela família e que para os que o ama pela imensidão do seu amor, tem um pouco de Deus, pela sua dedicação constante tem muito de anjo protetor.
Quando moço pensava como ancião visando sempre a proteção, e hoje mais velho pensa e age com toda força da juventude.
Mesmo com pouco estudo, usando sempre a sabedoria  desvendando os mistérios e nos mostrando os perigos da vida, agindo com a simplicidade de uma criança.
E lutando sempre pelo bem estar e pela felicidade de suas filhas.
Esse sois tu meu pai, meu exemplo, meu herói.
E que não somente hoje no dia dos pais, fique a certeza do meu carinho, da minha gratidão, minha admiração e do meu imenso amor pela pessoa maravilhosa e pelo pai exemplar que sempre foste.
TE AMO!!!

♫ Pai!

Me perdoa essa insegurança
É que eu não sou mais
Aquela criança
Que um dia morrendo de medo
Nos teus braços você fez segredo
Nos teus passos você foi mais eu... ♪

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Amor verdadeiro

Para refletir...




Um senhor de idade chegou a um consultório médico para fazer um curativo em sua mão, onde havia um profundo corte. E muito apressado pediu urgência no atendimento, pois tinha um compromisso.
O médico que o atendia, curioso, perguntou o que tinha de tão urgente para fazer. O simpático velhinho lhe disse que todas as manhãs ia visitar sua esposa que estava em um abrigo para idosos, com mal de Alzheimer muito avançado.
 O médico muito preocupado com o atraso do atendimento disse:
- Então hoje ela ficará muito preocupada com sua demora?
 No que o senhor respondeu:
- Não, ela já não sabe quem eu sou. Há quase cinco anos que não me reconhece mais.
 O médico então questionou: 
- Mas então para que tanta pressa e necessidade em estar com ela todas as manhãs, se ela já não o reconhece mais?
 O velhinho, então, deu um sorriso e batendo de leve no ombro do médico, respondeu:
- Ela não sabe quem eu sou. Mas eu sei muito bem quem ela é!
 O médico teve que segurar suas lágrimas enquanto pensava: É esse o tipo de Amor que quero para minha vida.
O verdadeiro AMOR não se resume ao físico, nem ao romântico. O verdadeiro AMOR é aceitação de tudo que o outro é... De tudo que foi um dia... Do que será amanhã...E do que já não é mais!


Infelizmente desconheço a autoria do texto e não encontrei na net nada referente... mas é um texto que me fez para pra pensar, a importância do outro em nossas vidas...

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Dia do Amigo?

"Dizem que amigos verdadeiros podem passar longos períodos sem se falar e jamais questionar essa amizade."

Amizade, uma das relações humanas que mais prezo, mas com algumas coisas não concordo e uma delas é a necessidade de existir um dia do amigo, é como se só nesse dia houvesse a necessidade de dizer aos amigos o quanto os amo, o quanto são importante... amigo pra mim é amigo os 365 dias do ano... Muito embora não concorde com a data, deixo a vocês uma história que não sei se é verídica, mas relata a verdadeira essência de uma amizade.




Passava do meio-dia e o cheiro de pão oriundo da  padaria invadia uma rua da periferia. Ricardinho não agüentou o cheiro e falou: "Pai, tô com fome”. O genitor, seu Agenor, sem ter um tostão no bolso,  olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência. O filho retruca: "Mas pai, desde ontem não comemos nada, eu tô com muita fome!".
Envergonhado, triste e humilhado , seu Agenor pede para o filho aguardar na calçada, enquanto entra na padaria com muita vergonha. Dirige-se a um senhor no balcão: "Bom dia, estou com meu filho de apenas 6 anos aí na porta com fome, não tenho dinheiro, pois saí cedo para buscar um emprego e nada encontrei.  Eu lhe peço que, em nome de Jesus, me forneça um pão para que  eu possa matar a fome desse menino. Em troca, posso varrer o chão de seu  estabelecimento, lavar os pratos e copos, ou outro serviço que o Senhor  precisar".
Seu Amaro, o dono da Padaria,  pede para que ele chame o filho e manda servir dois pratos de comida com arroz, feijão, bife e ovo. Para Ricardinho, era um sonho comer após tantas horas na rua. Grossas lágrimas desciam dos seus olhos já na primeira garfada. Agenor enxuga as lágrimas e começa a almoçar, já que sua fome estava nas costas. Após a refeição, Amaro convida  Agenor para uma conversa. Agenor conta, que há mais de 2 anos havia perdido o emprego e desde então, sem uma especialidade profissional, sem estudos, estava vivendo de pequenos "biscates" aqui e acolá, mas que há 3 meses não ganhava nada. O dono da panificadora resolve contratar o homem para serviços gerais na padaria e penalizado, faz para o novo contratado uma cesta básica com alimentos para pelo menos 15 dias.
Agenor, com lágrimas nos olhos, agradece a confiança daquele e marca para o dia seguinte seu início no trabalho. Ao chegar a casa com toda aquela "fartura", o genitor era um novo homem. Sentia esperança e acreditava que sua vida iria tomar um rumo melhor.
No dia seguinte, às 5h da manhã, Agenor estava na porta da padaria, ansioso para iniciar seu novo trabalho. O Sr. Amaro chega logo em seguida e sorri para aquele homem, que nem ele sabia porque estava ajudando. Tinham a mesma idade, 32 anos, e histórias bem diferentes, mas algo dentro dele chamava-o para ajudar aquela pessoa. E ele não se enganou. Durante um ano, Agenor foi o mais dedicado trabalhador daquele estabelecimento, sempre honesto e extremamente zeloso com seus deveres.
Um dia, Amaro comenta com o empregado que a escola do bairro abrira vagas para a alfabetização de adultos e que ele fazia questão que Agenor fosse estudar. Agenor até hoje não consegue esquecer o primeiro dia de aula, a mão trêmula nas primeiras letras e a emoção da primeira carta. Doze anos  se passaram desde aquele primeiro dia no colégio. Agenor deixou a Padaria do amigo para se tornar o Dr. Agenor Baptista de Medeiros, advogado, abrindo seu escritório próximo à padaria que resgatou sua dignidade.
Ao meio dia, ele desce para um café na panificadora do amigo Amaro, que fica impressionado em ver o antigo funcionário, tão elegante em seu primeiro terno.
Mais dez anos se passam e, agora, o Dr. Agenor, já conta com uma clientela que mistura os mais necessitados, que não podem pagar e os mais abastados, que o pagam muito bem. Resolve criar uma Instituição que oferece aos desvalidos da sorte, que andam pelas ruas, pessoas desempregadas e carentes de todos os tipos, um prato de comida, na hora do almoço. Mais de 200 refeições são servidas diariamente naquele lugar, que é administrado por seu filho, que agora é o nutricionista Ricardo Baptista.
Tudo mudou tudo passou, mas a amizade daqueles dois homens, Amaro e Agenor, impressionava a todos que conheciam um pouco da história deles. A noticia é que, aos 82 anos, os dois faleceram no mesmo dia, quase que na  mesma hora, morrendo placidamente com um sorriso de dever cumprido. No bairro há comentários que Jesus Cristo veio recebê-los com um coro de mil anjos entoando uma música que falava da vitória dos que sabem persistir e repartir. Ricardinho, o filho, mandou gravar uma placa na frente da "Casa do Caminho", que seu pai fundou com tanto carinho: "Um dia, eu tive fome e você me alimentou. Um dia, eu estava sem esperanças e você me deu um caminho. Um dia, acordei sozinho e você me deu forcas e isso, não tem preço. Que Deus habite em seu coração alimente sua alma e te sobre o pão da misericórdia, para estender a quem precisar".

quinta-feira, 7 de julho de 2011

A vida continua...

Dos nossos planos é que tenho mais saudade.
Quando olhávamos juntos na mesma direção,
aonde está você agora, alem de aqui, dentro de mim…
Agimos certo sem querer foi só o tempo que errou,
vai ser difícil sem você, porque você esta comigo o tempo todo
e quando vejo o mar, existe algo que diz,
que a vida continua e se entregar é uma bobagem…
Já que você não está aqui o que posso fazer é cuidar de mim,
quero ser feliz ao menos, lembra que o plano era ficarmos bem.


[Legião Urbana]

domingo, 3 de julho de 2011

Assim eu sou...


Eu gosto do impossível, tenho medo do provável, dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade, mas nem sempre tenho motivo.
Tenho um sorriso confiante que as vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele.
Sou inconstante e talvez imprevisível.
Não gosto de rotina. Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso, e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras.
Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo.
São poucas as pessoas pra quem eu me explico...


Bob Marley

sábado, 2 de julho de 2011

Mais uma estrela brilha no céu...

E hoje mais uma estrela brilha no céu...
Deixou entre nós a saudade e a tristeza de sua partida, porém mais que isso deixou o exemplo de tudo que foi e representou no convívio com os seus. O exemplo de mãe, avó, mulher, o carinho, a personalidade, os gestos e as atitudes, são coisas que não se apagaram com os dias...
A dor hoje sentida com sua partida abre ferida em nossos corações, mas ela cicatrizará, ficando depois só a marca que representará toda a sua importância na vida de cada um daqueles que a amam e que aqui ficam com a saudade de não mais está fisicamente ao seu lado.
Conforta a certeza de que agora não mais sofres, que toda dor se foi e que livre estás de todo sofrimento carnal, ao lado do Pai sabemos que olhas por aqueles que aqui ficaram e que tanto amaste em vida e para esses o tempo e a certeza de que agora voas livre e feliz dará o conforto, embora sempre sintam a falta da tua presença.
Creio que será permitido guardar uma leve tristeza, e também uma lembrança boa; que não será proibido confessar que às vezes se tem saudades; nem será odioso dizer que a separação ao mesmo tempo nos traz um inexplicável sentimento de alívio, e de sossego; uma indefinível dor e uma eterna saudade. 
E que houve momentos perfeitos que passaram, mas não se perderam, porque ficaram em nossa vida; que a lembrança deles nos faz sentir bem, mas ao mesmo tempo é maior a dor da sua falta e maior a nossa solidão; mas que essa solidão ficou menos infeliz; que importa que uma estrela já esteja morta se ela ainda brilha no fundo de nossa  mente e para sempre em nosso coração?


D. Dinorah minha convivência ao seu lado foi tão pequena, não passou das três vezes em fui visitá-la, mas foi  o suficiente para que se tornasse um alguém muito especial, e para que hoje eu sinta também pela sua partida, guardarei para sempre na minha lembrança e no meu coração, as vezes que me dissestes: "Você é bonitinha! Gosto de você! E são essas palavras, que trarei sempre comigo, quando pensar ou falar da pessoa que foste.
E que descanse em paz, na certeza de que sempre estará presente na vida e no coração daqueles que sempre amou.
Nossa eterna SAUDADE!!

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Desisti...


Não faz diferença se você vem amanhã ou não vem. Desisti de esperar por alguém cuja ausência me faz companhia.
Caio Fernando Abreu

domingo, 12 de junho de 2011

Meus Amigos: Loucos e Santos!





Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

(Oscar Wilde)

Solidão...


"Solidão só dá prazer na medida em que sabemos que ela é uma escolha. 
Solidão só dói quando é inevitável"

(Martha Medeiros)

sábado, 4 de junho de 2011

Sentimentos...

Hoje que me encontro bem à medida que se é possível estar bem, resolvi escrever, tive um início de ano complicado, um dia depois de meu aniversário ganhei uma demissão de presente, e pra quem me conhece a fundo sabe que minha profissão é e sempre será meu refúgio em todos os momentos.
Já tem um tempo que estou para escrever a respeito, mas precisava de um tempo para que pudesse decifrar dentro de mim alguns sentimentos, analisar algumas constatações, aceitar ou não algumas opiniões, enfim, precisava entender o de fato sentia.
No início de março consegui meu emprego de volta e consegui mais um, deveria está radiante de alegria não? Pois é, mas isso não aconteceu, apesar de aparentemente tudo estar bem, dentro de mim algo muito estranho acontecia, uma sensação de estar sozinha, uma cobrança minha que não sabia como suprir, me sentia chata, sorrir me incomodava, meu humor alternava a cada minuto, e isso me afligia e incomodava, até que escuto o diagnóstico: “Seu maior problema é posse... você é ciumenta demais... se existir a menção de que algo lhe ofusca, você reage assim, se fecha em concha”.
Não concordo, mas achei quem tivesse a mesma opinião, e isso me fez pensar, refletir nas minhas ações e atitudes e admito, sou muito ciumenta, tenho ciúmes das minhas coisas, do meu pai, dos meus sobrinhos, de alguns amigos, não vejo isso como posse, como algo que me prejudique... Mas tendo a visão afirmativa de duas pessoas quanto a isso, resolvi então me auto analisar, prestar mais atenção nas minhas ações e atitudes e me policiar, quanto ao meu “ciúme”, sentir sem demonstrar. 
Não o avalio como algo doentio, e sou da teoria de que só sentimos ciúmes do que amamos. E confesso que ainda me incomoda ver algumas coisa, ler outras, mas tenho feito o exercício diário de não deixar que isso me leve mais uma vez pra algo que eu não possa controlar ou explicar, continuo mesma, aquela que se apega fácil, que se entrega sem reservas as relações, que é ciumenta sim, que preserva demais o que sente, que se magoa fácil também, que procura ao máximo ajudar, mas hoje sou aquela que está aprendendo a conviver com toda essa montanha russa de sentimentos, sem deixar se levar negativamente por ela. E se tinham ou não razão quanto ao meu problema ser posse, ou me sentir ofuscada,  talvez, não tenho certeza... Mas isso me fez acordar para uma nova visão de mim, e hoje me conheço melhor, consequentemente controle melhor o que sinto e o que passo... Hoje procuro demonstrar só o que de fato as pessoas precisem ver ou perceber... quem me conhece de verdade verá muito mais, mas só eu saberei a realidade dos meus sentimentos...

sábado, 28 de maio de 2011

Amizade Feminina!

Comungando da mesma ideia e pensamento, se torna algo que acredito, compartilho e faço das palavras dela, minhas...


_ Amizade feminina: existe ou não?_
Existe mesmo? Há quem acredite que as mulheres são eternas concorrentes e, portanto, muito pouco leais.
Existe amizade feminina, sim. Amizade real, sólida e vitalícia. O que acontece é que as mulheres se envolvem muito na vida umas das outras e isto, como em qualquer relação, gera alguns mal-entendidos, ciúmes e até brigas feias, o que faz parecer que a amizade entre mulheres é frágil.
Os homens são menos invasivos, não se envolvem tanto com a intimidade dos amigos. Por isso, atritam-se menos e passam a idéia de serem mais estáveis.
A amizade é o melhor e, provavelmente, o único antídoto contra a solidão. E não precisa ser uma amizade grandiloqüente, do tipo grude vinte e quatro horas e sem segredos. Uma amizade pode ser forte e leve ao mesmo tempo. 
E melhor ainda, se forem amizades variadas. Uma boa amiga para ser sua sócia, outra boa amiga para dar dicas de viagens, uma amiga especial para conversar sobre sentimentos escusos, outra amiga fantástica para falar sobre livros e filmes, uma amiga indispensável para lhe dar um ombro quando você está caidaça.
Nenhum problema em departamentalizar. Ao menos nas amizades, viva a poligamia.
Amigos homens são igualmente imprescindíveis. Quando ouço que não existe amizade entre homem e mulher por causa da possibilidade de um envolvimento amoroso, pergunto: e daí? Qual o problema de haver uma sensualidade no ar? Todas as relações incluem alguma espécie de sedução - todas.
Amigo homem é bom porque eles não falam toda hora sobre filhos, empregadas, liquidações, esses papos xaropes. Amigo homem não faz drama, ri das nossas manias, traz novos pontos de vista sobre as coisas que nos angustiam, não pede nossas roupas emprestadas, e o que é melhor, comenta sobre suas ex-namoradas e com isso acaba nos dando dicas muito úteis para enfrentar esta tal guerra dos sexos.
Amiga de infância, amiga irmã, amigo homem, amigo gay, amigos virtuais, amigos inteligentes, amigos engraçados, amigos que não cobram, que não são rancorosos, amigos gentis, amigos que mantêm-se amigos na distância e no silêncio, todos eles ajudam a formar nossa identidade e a nos sentir protegidos nesta sociedade cada vez mais bruta e individualista. 
E não posso esquecer do melhor amigo de todos, e não é seu cachorro, seu gato ou seu hamster, estou falando daquele ser humano com quem a gente casou, aquela pessoa que convive conosco dia e noite, numa promiscuidade escandalosa e cujo vínculo se mantém com muita paciência, humor, respeito e solidariedade, tal qual acontece entre os verdadeiros amigos do peito.
*Martha Medeiros*

Só uma ressalva ao final do texto, ainda acho que um cachorro, um gato, um hamster é muitas vezes mais amigo que muito ser humanos.... "Quanto mais conheço a raça humana, mais amo o meu cão" amizade e carinho que temos com os nossos animais é muito mais que louvável, pois sempre haverá a certeza de que eles são amigos fieis, que sempre nos aguarda no final do dia com o rabo balançado, um carinho em nossas pernas, e a alegria no olhar, sem falsidade e hipocrisia, só pelo fato de estarmos perto deles mais uma vez e em troca só pedem um pouco de atenção e carinho...
Mas embora descrente muitas vezes de algumas relações humanas, não é por isso que deixo de ter e fazer amigos... relações afetivas e sem interesse amoroso e sexual, é ainda na minha humilde opinião a mola mestre e solução para muitos de nossos problemas...

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Medo...

Medo nada mais é que a sensação que incapacita e impossibilita de agir, ou reagir a determinadas situações.
Porque escrever a respeito, analisando o medo do futuro, medo do incógnito, medo dos acontecimentos que seguem retas opostas ao planejamento
E medo das expectativas em torno do que se espera de alguém, que muitas vezes nem se tem como corresponder, a imagem e impressão que passamos, muitas vezes não condiz com a realidade diária, e isso amedronta.
E me colocando como o “objeto” de análise chego a constatação que as pessoas só notam em mim a profissional, e esquecem que por trás da fachada de pessoa séria e responsável, tem alguém que embora não aparente, é humana demais, sente e se abala demais, que guarda demais seus problemas para dar atenção a resolver os dos outros, que se fecha em concha para não incomodar, que sofre sozinha para não parecer chata com seus problemas,e sim uma pessoa temerosa do que está por vir.
Muitas vezes aquela pessoa tida como a fortaleza não passa de uma frágil estrutura que se abala com um simples sopro, mas que cresceu aprendendo a se portar como forte, a amiga que está sempre por perto, que aconselha a ouvidos, buscando sempre uma solução, guarda pra si sua montanha de problemas, dúvidas e questionamentos, por não querer incomodar ou talvez por achar que seus medos, suas aflições podem ficar para depois. E por tanto guardar, não sabe nem consegue expressar o que sente, e o sentimento chega a um ponto que sufoca e precisa ser expelido, ser de alguma forma explicitado.
A vida, o mundo, as pessoas que te cercam, te cobram e te fazem crescer, sem que se certifiquem se você está pronta para as mudanças relacionadas a esse crescimento, sem darem respaldo muitas vezes psicológicos para tantas transformações, e com toda cobrança acaba-se por impor um crescimento inadequado e despreparado para acontecimentos futuros, e quando essas cobranças deixam de ser só externas e você acaba por achar que não rende o quanto se preparou e deveria, se entrega a todo esse medo do futuro, medo de não corresponder as exigências, medo de que as coisas não saiam como manda o protocolo e conseqüência disso não fica só na questão do medo, mas passa a frustrações e deficiência em setores primordiais para a chamada felicidade.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Fribromialgia e depressão, amigas de infância...

"A dor da alma, dói também no corpo."
A depressão é uma doença "do organismo como um todo", que compromete o físico, o humor e, em conseqüência, o pensamento. A Depressão altera a maneira como a pessoa vê o mundo e sente a realidade, entende as coisas, manifesta emoções, sente a disposição e o prazer com a vida. Ela afeta a forma como a pessoa se alimenta e dorme, como se sente em relação a si próprio e como pensa sobre as coisas.
A Depressão é, portanto, uma doença afetiva ou do humor, não é simplesmente estar na "fossa" ou com "baixo astral" passageiro. Também não é sinal de fraqueza, de falta de pensamentos positivos ou uma condição que possa ser superada apenas pela força de vontade ou com esforço.
As pessoas com doença depressiva (estima-se que 17% das pessoas adultas sofram de uma doença depressiva em algum período da vida) não podem, simplesmente, melhorar por conta própria e através dos pensamentos positivos, conhecendo pessoas novas, viajando, passeando ou tirando férias. Sem tratamento, os sintomas podem durar semanas, meses ou anos. O tratamento adequado, entretanto, pode ajudar a maioria das pessoas que sofrem de depressão.
A Depressão, de um modo geral, resulta numa inibição global da pessoa, afeta a parte psíquica, as funções mais nobres da mente humana, como a memória, o raciocínio, a criatividade, à vontade, o amor e o sexo, e também a parte física. Enfim, tudo parece ser difícil, problemático e cansativo para o deprimido.
A pessoa deprimida não tem ânimo para os prazeres e para quase nada na vida, de pouco adiantam os conselhos para que passeiem, para que encontrem pessoas diferentes, para que freqüentem grupos religiosos ou pratiquem atividade exóticas.
Os sentimentos depressivos vêm do interior da pessoa e não de fora dela e é por isso que as coisas do mundo, as quais normalmente são agradáveis para quem não está deprimido, parecem aborrecedoras e sem sentido para o deprimido.
Essa mesma depressão é fator comum em pacientes com fibromialgia, mas não deve ser visto como um sintoma da doença como tantos afirmam, a depressão é sim uma consequência da fibromialgia, mas acredito que se fosse um sintoma seria possível afirmar que toda pessoa depressiva sofre com a fibromialgia o que não é o caso, mas acho sim ser possível afirmar que todo fibromiálgico tem tendências depressivas e momentos de reclusão.
E não é de se estranhar que momentos depressivos aconteçam até mesmo  com os ditos sadios, quando sofrem qualquer abalo psicológico por um motivo ou outro, eles tem seus momentos depressivos, agora se coloque no lugar de um fibromiálgico e se imagine, impossibilitado de tantas coisas, de desempenhar atividades prazerosas, muitas vezes de um simples passeio ou brincadeira com os filhos, de exercerem suas profissões, de sair pra trabalhar e garantir o seu próprio sustento, de realizar atividades simples do dia a dia, ou se vejam muitas vezes impossibilitados até mesmo de levantar pela manhã depois de uma terrível noite de dor e insônia. O estado depressivo é consequência de todos esses fatores.
E como se não bastasse, tanta dor, sofrimento e limitações, a depressão é ainda mais agravante diante de fatos como humilhações públicas, seja em locais de trabalho por não conseguirem exercerem suas funções devidamente,  ou na busca por ajuda médica, e esses profissionais por muitas vezes desconhecerem a fibromialgia a tratam como invenção do paciente, procurando convencê-los ou mesmo fazê-los acreditarem nos mais diferentes motivos para tanta dor e sofrimento, e ainda precisamos levar em conta a discriminação de familiares e amigos, dos julgamentos errôneos e do preconceito que é fato presente e constante na vida de muitos pacientes.
Motivos científicos, estudos e estatísticas existem muitos, que tentam  buscar uma explicação para essa correlação entre a fibromialgia e a depressão, mas eu no meu papel de leiga e curiosa no assunto, prefiro acreditar que a explicação é simples, a depressão anda sim de mãos dadas com a fibromialgia, em consequência de tanto sofrimento, de tanta discriminação, de tantos NÃO que escutam, de tantas barreiras, da inexistência de um exame que ateste e comprove a doença, da ausência de um tratamento e medicações específicas, do não reconhecimento da doença e das impossibilidades e limitações que pacientes com fibromialgia precisam conviver e superar diariamente.
 Diante disto acredito que não é a fibromialgia que anda de mãos dadas com a depressão, mas sim, a depressão que faz questão de estar sempre por perto dos fibromiálgicos, como amigos de infância.

domingo, 22 de maio de 2011

Um passeio no parque ou poder mágico de um cachecol?

Só um fibromiálgico sabe definir com prioridade a sensação de conviver com essa doença diariamente, e embora não seja reconhecida pela classe médica, como pode algo que acarreta tantas dores, fadiga, desconforto não ser diagnosticado como doença?
A falta de um exame clinico que ateste e comprove a fibromialgia como doença tem impossibilitado que os pacientes possam ser favorecido com questões básicas de saúde como: tratamentos dignos, medicações específicas, interesse da classe médica e a possibilidade de aposentadoria por se tratar de uma doença incapacitante.
E como se já não bastasse terem que enfrentar discriminação, julgamentos e descrença de amigos e familiares, muitas vezes o pouco caso de médicos, a sensação de estarem sós e a necessidade de se apegarem a qualquer fio de esperança, em busca de algo que amenize tanto sofrimento não só físico como psicológico. Há então quem, não sei se por maldade, por insensibilidade ou mesmo por ignorância que chegam ao absurdo de julgarem as dores e atitudes dos pacientes e até mesmo a sugerirem soluções estupefatas que não condizem em nada com o sofrimento, o que estaria eu buscando se em meus textos sugerisse aos pacientes com fibromialgia que levassem suas dores para passear, que brincassem com elas, que acreditassem no poder mágico de um cachecol, uma sessão de sexo, ou mesmo sugerisse que uma volta no parque mais próximo da cidade fosse à solução para todos os problemas.
Não sei se atitudes como essas são mesmo por maldade ou uma forma diferente de querer ajudar, mas só penso que o melhor mesmo é se por no lugar dos que sofrem, é tomar conhecimento da intensidade das dores que sentem, das recusas a programas que lhe davam prazer, das impossibilidades da prática de atividade e exercícios que gostavam, pois a dor não é visível, não tem cor, não tem aparência, nem escolhe vitimas, ela simplesmente existe e é traiçoeira, pois, não é detectável em exames.
Por isso se queres ajudar, a melhor forma é que apoie, entenda, defenda, mas não caçoem do problema ou procurem soluções extraordinárias, a cura ainda não existe e os pacientes estão cientes disso, e tudo que eles NÃO precisam é de pessoas que tripudiem em cima de suas dores, uma palavra e um ombro amigo não cura, mas ameniza a dor do coração.